3 passos para melhorar suas posturas e atitudes

Tempo de leitura: 5 minutos

3 passos para melhorar suas posturas e atitudesA entrada de um novo ano nos motiva para o envolvimento em novas atividades e para o cumprimento e retomada de antigos objetivos.

Se aproveitarmos bem o momento para concretizarmos realizações, poderemos mudar o rumo das nossas vidas nesse ano novo.

Esteja preparado para a inovação e confiante nas boas transformações, que acontecerão em sua vida se você não deixar para amanhã o que é totalmente adequado para ser feito agora: reavaliar-se e melhorar as suas posturas e atitudes.

1º Passo: Reavalie suas atitudes

Em algum momento da vida, condicionamos determinada atitude. Pode ter sido ao observarmos pessoas próximas, ao repetirmos atitudes de personagens que admirávamos na ficção ou ao assumirmos posturas que nós mesmos desenvolvemos através da nossa vivência.

Algumas dessas “atitudes condicionadas” não fazem bem para nós nem para as pessoas ao nosso redor e só as repetimos por hábito.
Ao ter alguma das reações a seguir, observe-se e analise se você realmente quis assumir essa postura ou se você só está acostumado a reagir dessa forma:

– Recusar convites de amigos, familiares ou colegas de trabalho sem nem avaliar a proposta.

– Reagir de maneira exaltada ou agressiva a críticas, conselhos inesperados ou opiniões contrárias as suas.

– Fazer exigências e cobranças demais daqueles que são próximos a você.

– Aumentar o tom de voz ao ser contrariado ou se sentir mal interpretado.

– Assumir uma postura irritada e mal humorada ao não conseguir o que quer ou ao não realizarem algum pedido seu.

– Comentar sobre a vida dos outros quando não lhe diz respeito.

Se você se identifica com alguma dessas atitudes, procure refletir sobre o porquê você às tornou um hábito e da próxima vez que se encontrar repetindo-as, pare e pense em como a sua vida poderia ser muito mais positiva se você agisse de forma mais lógica e adequada a cada momento, levando em consideração o quanto você valoriza as pessoas com as quais se relaciona.

2º Passo: Coloque-se no lugar do outro

Para conseguirmos chegar a esse ponto devemos procurar desenvolver em nós mesmos sentimentos de humildade e compaixão. Aqui vão algumas reflexões que podem te ajudar:

– Entenda que somos seres humanos diferentes que passaram por experiências únicas e que vivem em condições distintas e por isso, tomam decisões diferentes.

– Algumas pessoas pensam a longo prazo e outras não, todavia entre ambos os grupos há pessoas determinadas e que trabalham duro pelo que querem.

– Todos nós temos prioridades que mudam ao longo da vida e essa mudança é totalmente relativa de pessoa para pessoa.

– Todos nós temos sonhos e como cada pessoa é única, os sonhos e os caminhos até eles também são.

– Sentimentos são interpretados de maneiras muito distintas e também podem ser demonstrados de muitas formas. Às vezes as atitudes dos outros não são aquilo que esperamos, mas isso não quer dizer que não estejam repletas de tamanha consideração que nem conseguimos imaginar.

– Todos nós passamos algum tipo de necessidade, seja ela emocional, material ou de de saúde. A diferença é que algumas são mais evidentes e outras não.

– Compreender as pessoas e os seus contextos é importante, mas compactuar com erros ou fingir que os problemas não existem não ajuda nem às pessoas nem a nós. Quanto mais adiamos enfrentar algo complicado, mais difícil se torna a implementação da solução, porém nunca impossível.

Colocarmo-nos no lugar do outro nos evolui de tal forma que a nossa interpretação de mundo também muda. Passamos a ter novas perspectivas e a encarar os problemas não como obstáculos, mas sim como oportunidades de crescimento, porque começamos a visualizar as situações em nossas vidas através de ângulos diferentes.

3º Passo: Trabalhe com todas as forças para a sua mudança

Refletir sobre nós mesmos, sobre nossas atitudes e sobre a nossa vida e decidir pela mudança é o começo.
Agora é necessário trabalhar pela sua transformação de forma objetiva.

Por exemplo, se você nunca lê um livro não adianta propor uma meta de ler um livro por semana. Se esforce para atingir uma meta que você consegue alcançar, por exemplo, um bom propósito para 2013 pode ser a leitura de 10 minutos diários de um livro com toda atenção. Você conseguirá ler muitos livros em um ano e com a busca de boas técnicas para otimizar a leitura e o desenvolvimento desse hábito no futuro, possivelmente em 2014, conseguirá ler mais de um livro por mês.

O essencial é a constância da ação diária que faz com que um bom hábito se desenvolva.
Também não adianta traçar 10 metas, que se perdem ao longo dos dias. É melhor ter uma meta só para o ano e cumpri-la bem do que ter 10 que ficam pela metade. Concentre todas as suas força no que você avaliou como mais importante.

Como disse o escritor L.L Santos: “Não perca tempo buscando a transformação no mundo. Busque a sua.“

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *