As 3 Estratégias Infalíveis para Fracassar

Tempo de leitura: 4 minutos

Foto Estratégias Infalíveis para Fracassar
Foto Estratégias Infalíveis para Fracassar

Hoje vamos refletir sobre 3 atitudes pessoais e profissionais que, se praticadas assiduamente, têm grandes chances – no curto, médio e longo prazo – acabar em “zica”. Vamos denomina-las de as 3 Estratégias Infalíveis para Fracassar.

Sem exceção, todas as pessoas, profissionais que estão insatisfeitos com o que fazem e com o quanto recebem no final do mês fazem uso consciente ou inconscientemente de uma, duas ou até mesmo das três estratégias.

E tem mais, têm grandes chances de continuar insatisfeitos até construírem alguma doença, para então sim, terem uma justificativa concreta do porquê não podem fazer mais nada.

Essa é a realidade de 93,7% dos profissionais, basta ver o estado de humor deles domingo à noite a partir das 20h. E, se a segunda feira amanhecer chovendo, é melhor não conversar com eles até mais ou menos o meio dia.

===================================================

Característica 1 – Não têm Objetivos (não sabem o que querem)

====================================================

Constatamos no cotidiano comentários assim: – “eu não quero isso, não quero aquilo”, “não suporto mais aquele ambiente tóxico do meu setor”, “ninguém queira saber a barra que é ter que encarar meu chefe cobrando metas todos os dias”. Saber o que não quer não é suficiente para sair de onde está (ainda está paralisado) – chamo isto de passo zero.

Para podermos agir precisamos saber o que queremos.

Tanto você, quanto eu, já constatamos que quando não temos um objetivo bem definido ou algo específico para fazer, alguém vendo que não estamos ocupados, sempre encontra algo para preencher o nosso tempo.

Os 93,7% dos profissionais que deixam suas casas todos os dias, enfrentam 2 a 4 horas de trânsito, trabalham de 8 a 12 horas, 5 a 6 dias por semana, e recebem entre 5 a 8 salários, vivem insatisfeitos pelo simples fato de não terem um objetivo claro para si mesmos e estão sendo sub-remunerados para realizar os objetivos dos outros.

====================================================

Característica 2 – Procrastinam (sempre amanhã, nunca hoje)

====================================================

Você já deve ter percebido que essa segunda característica é decorrente da primeira. Como tais profissionais estão realizando atividades com as quais não se identificam (não é o seu sonho, mas o sonho do patrão), não conseguem entrar em ação com entusiasmo.

Sei, você já tem consciência que problemas atuais são situações decorrentes de decisões ou ações que foram procrastinadas dias, semanas ou meses atrás.

Pessoas e profissionais procrastinadoras se ocupam, preenchem as 8 a 12 horas de trabalho com atividades que têm baixo poder agregado, por isso recebem sempre algo entre 5 a 8 salários mínimos.

 

======================================================

Característica 3 – Aplaudem o Sucesso dos Outros

======================================================

Tanto você, quanto eu, amamos diversão. Porém, precisamos estar ativos, nos envolvendo emocional e fisicamente enquanto nos divertimos em 80% de nossas atividades lúdicas, apenas 20% delas deverão ser atividades passivas.

Quando sentamos, em bancos de estádios, poltronas em salas de espetáculos e salas de casa diante da telinha para nos divertir e essas atividades lúdicas somam 80% do nosso tempo de diversão, e apenas 20% são atividades em que nos envolvemos fisicamente, é muito fácil entender que no curto e médio prazo teremos consequências drásticas.

É muito fácil concluir que tais pessoas e profissionais não têm tempo para cuidar do próprio sucesso, porque estão sempre muito ocupados aplaudindo o sucesso dos outros.

Todos, sem exceção, que realizam algum projeto significativo dedicam muitas horas dos seus dias pensando e implementando vários detalhes dos seus próprios sonhos.

Tais pessoas (apenas 6,3%) têm suas horas de lazer, descanso, relaxamento, porém estão predominantemente ativos e não passivos nessas atividades.

Mudar hábito não é para fracos, é desafio para os fortes. Admitir que é o principal responsável pelo número de horas que trabalha e pelo quanto recebe já é um passo extremamente significativo, porém é apenas o passo zero.

O passo um é identificar estratégias capazes nos colocar em ação e potencializarmos as oportunidades de irmos para o nível de excelência pessoal e profissional.

Alcides Schotten

Saiba mais sobre o Treinamento de 12h – Administração do Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *