3 Erros e 5 Acertos dos Concursandos e Vestibulandos.

Estratégias que todo candidato precisa saber para estudar apenas 6 a 8 meses e ser aprovado.                        

Os já aprovados anos anteriores nos vestibulares das melhores universidades federais:

  • USP,
  • UFRJ,
  • UNICAMP.

universidadeuspOu nas provas dos concursos mais concorridos para órgãos públicos, tais como:

  • Receita Federal,
  • Banco Central,
  • Juízes Federais e Estaduais,
  • Promotoria e Defensoria Públicas.

Sem exceção, todos tiveram em comum dois focos:

  • sabiam o que estudar (leram os editais com atenção);
  • entraram e ação, porém com as técnicas de estudos adaptadas ao seu estilo de aprendizagem.

Por isso fazem parte de três índices:

  • acertaram 85% a 95% das 100 a 120 questões nas 4 a 5 horas de prova;
  • fazem parte do grupo dos 3% a 5% dos candidatos normalmente aprovados todos os anos;
  • por que tiveram alta performance nas 4 a 6 horas de estudos diários ao longo de 6 a 8 meses.

Os 3 erros básicos cometidos por 70% a 90% dos Vestibulandos e Concursandos.

1) “Rachar” durante horas e horas diárias nunca é o melhor método.

estudantedesanimado

Estudar longas horas diárias não significa necessariamente aprender muito e com qualidade.

Também, não é o elevado QI (quociente de inteligência) o principal responsável pela aprovação em provas de longa duração, como muitos querem acreditar.

Estou convicto que candidatos com grandes chances de aprovação têm sempre três diferenciais em comum:

  • sabem estudar no Estado da Arte (técnicas adaptadas ao seu estilo de aprendizagem;
  • têm alta resiliência (determinação/persistência);
  • sabem muito bem o que querem (não estão fugindo de problemas, estão conquistando sonhos).

A neuropedagogia comprova que a mente humana não assimila volumes enormes de informações abstratas em um único dia.

A passagem das informações da memória de trabalho (momento de estudo) para a memória permanente (conhecimento assimilado) é realizada por camadas.

Trocando em miúdos, isso significa, os candidatos precisam criar o hábito de repassar as matérias já estudadas.

box4

Maratonistas precisam de técnicas específicas ao longo do treinamento.

Atletas que treinam a esmo durante 1 ano, jamais conseguirão a performance do atleta que treina com a orientação técnica correta.

2) Não realizam repasses das matérias já estudadas.

Esse hábito errôneo de estudo foi adquirido durante o ensino médio.

Era suficiente para atingir a média, assistir as aulas e rever a matéria horas antes das provas.

Por isso, é normal vestibulandos e concursandos mergulharem nos estudos fazendo uso dessa única estratégia por eles conhecida e que acreditam ser eficaz.

Em provas que exigem domínio de volumes extensos de informações, a importância dos repasses periódicos faz toda a diferença.

As provas no ensino médio eram realizadas comumente sobre 4 ou 5 capítulos de uma única matéria e duravam apenas 50 minutos a 1 hora.

Os repasses periódicos não eram percebidos como necessários ao longo dos 2 ou 3 meses de estudos porque na véspera da prova conseguiam, em 2 ou 3 horas, rever os 4 ou 5 capítulos integralmente.

Porém, vestibulandos e concursandos jamais conseguirão rever toda a matéria em 2 meses de estudos, e muito menos, em 2 ou 3 horas de véspera.

Os candidatos (concursandos e vestibulandos) que estão no segundo, terceiro ou até quarto ano de estudos e estão prestes a desanimar, sem exceção, não têm hábito de repassar as matérias já estudadas.

3) Limitam-se, tão somente, a ler as matérias em resumos apresentados
pelos cursinhos preparatórios.

Os manuais de estudos são uma compilação de textos explicativos dos tópicos mais relevantes de cada matéria.

Textos sempre são extensos e jamais devem ser decorados na íntegra.

Os próprios autores dos textos não lembram as frases que escreveram.

Mas todos os autores têm na ponta da língua os raciocínios e os argumentos que os fundamentam.

No dia da prova, o candidato precisa ter duas grandes habilidades – raciocínio e memória. Cada matéria está estruturada de um jeitão bem particular.

O momento mais adequado para identificar esse jeitão é enquanto faz a leitura dos manuais.

Mas atenção, a técnica de sublinhar já auxilia muito, porém não é o suficiente porque não é eficaz para as revisões periódicas extremamente necessárias.

A simples leitura ou a leitura sublinhada são técnicas que auxiliam o entendimento dos raciocínios e seus respectivos argumentos.

Porém não os agrupam (mind maps) e, aos poucos, os candidatos têm a sensação de que estão esquecendo o que já estudaram, isto é, as memórias de curto e de longo prazos estão sensivelmente prejudicadas.

Os 5 acertos primordiais dos candidatos que sempre estão entre os 10 primeiros colocados nas listas dos aprovados.

1) Objetivos bem definidos e fortemente motivadores, acrescidos de planejamento estratégico.

objetivosclaros

Os 10 primeiros colocados acabaram de concretizar os seus melhores sonhos estratégicos.

Por sonhos, devemos entender aquilo pelo qual damos a vida para obter e, por planejamento estratégico, ter consciência da importância das ações realizadas no momento certo e com a intensidade certa.

Objetivos claros e fortemente motivadores é privilégio de todos, mas somente poucos têm. Objetivos claros têm tudo a ver com escolha e, jamais com fuga.

O candidato que definiu o que quer e está fortemente motivado, entende que precisa fazer uso das melhores estratégias para que cada hora e cada dia de estudo tenham excelência.

Estudar em Alta Performance consiste em:

  • horário de estudos: 4 a 6 horas de estudos diários distribuídos em períodos de 50 minutos a 1 hora e intercalados com refeições leves e nutritivas;
  • 7 à 9 horas de sono altamente reparador, pois é durante o sono que a mente organiza e sedimenta as informações estudadas e recupera a energia e a capacidade de focar por horas do dia seguinte;
  • exercícios físicos diários em 3 níveis: alongamentos, aeróbios e anaeróbios, fundamentais para descarregar adrenalina e gerar a serotonina.

2) Mind maps, sua principal estratégia para entender, sintetizar e memorizar as matérias.

A melhor técnica de memória sempre será o entendimento das matérias estudadas.

O que significa entender? Significa fazer sentido para a mente. A neurociência mostra que o que faz sentido (memória de trabalho – curto prazo) aumenta em 95% a memória permanente (longo prazo).

Informações soltas na mente e que não fazem sentido são muito rapidamente esquecidas. Entender, nada mais é, do que criar redes neurais.

box3

Concursandos e Vestibulandos que estudam no estado da arte dedicam suas melhores horas do dia para aprender, isto é, ler, sublinhar e sintetizar (mind map).

Longos capítulos são reduzidos a uma página na qual estão classificados, por ondem de importância, os grandes pontos, bem como os detalhes do assunto entendido e sublinhado enquanto realizava a leitura.

3) Intercalam duas frentes de estudos.

Ao longo de cada dia de estudos realizam duas etapas bem distintas uma da outra.

Essa estratégia tira a monotonia e otimiza cada hora de acordo com a sua qualidade de energia.

O cérebro precisa de estímulos diversificados para se manter focado.

Estudar 4 a 6 horas uma única matéria é a melhor estratégia para dispersar, entediar e não memorizar.

O critério para definir qual frente de estudo é a mais adequada é a qualidade de energia que cada estudante tem nas mais diversas horas do dia.

As horas com melhor disposição devem ser usadas para a primeira frente de estudos – aprender partes novas das matérias, fazendo uso da estratégia: ler, entender, sublinhar e sintetizar.

A qualidade da aprendizagem é sempre proporcional à disposição mental e às técnicas adequadas a cada momento.

Aqueles momentos ao longo do dia que, naturalmente, têm menor qualidade, mas que também precisam ser aproveitados para estudar, são ideais para realizar a segunda frente da aprendizagemrealizar repasses periódicos e espaçados.

Tais repasses somente serão viáveis, se, e somente se, as matérias estudadas estiverem sintetizadas em forma de mind maps.

Portanto, os dias dos candidatos que estudam no estado da arte têm sempre essas duas ações primordiais:

  • primeira frente de estudos: ler, entender, sublinhar, sintetizar;
  • segunda frente de estudos: repasses periódicos e espaçados.

Lembro que precisam ser intercaladas com nutrição correta, horas adequadas de sono e exercícios físicos.

4) Simulados, o quarto grande segredo dos primeiros colocados.

simuladosconcursos

Identificar rapidamente o que o examinador está testando em cada pergunta só é possível para o candidato que já realizou inúmeras provas.

Além de saber a matéria na ponta da língua, adquiriu também a habilidade de resolver assertivamente as questões no menor tempo possível.

Os últimos 45 dias que antecedem as provas, precisam ser dedicados a realização de 1 simulado por dia, seguido de revisões pontuais de cada matéria e de uma análise cuidadosa sobre a estratégia que utilizou para realizar o simulado.

box5

Quanto melhor o candidato treinou nessa fase de realização dos simulados a identificar rapidamente o grau de dificuldade de cada questão: fácil, média, difícil, bem como o uso estratégico das 3 ou 4 horas da prova, potencializará a suas chances de conquistar as melhores vagas.

5) Têm ações consistentes e praticam kaizen todos os dias.

Como é imprescindível estudar entre 4 a 6 horas todos os dias durante 6 a 8 meses, o erro mais comum de 95% dos candidatos não aprovados é a inconstância nas ações e a repetição dos mesmos erros diariamente.

Veja porque Eduardo Ito não conseguiu sua vaga de medicina na UNESP – “Eu estudava um ou dois dias na semana durante 9 a 12 horas, um ou dois dias apenas 1 a 2 horas e, muitas vezes, não estudava nada um dia ou outro por me sentir exausto”.

box14

Aprende-se muito mais mantendo uma quantidade de horas que o ser humano suporta bem (4 a 6 horas) todos os dias, do que horas excessivas por alguns dias e intercalar com dias sem estudos.

Kaizen é a principal estratégia de adaptação utilizada pelos candidatos que ocupam as melhores vagas. Ela significa em sua essência: hoje melhor do que ontem e pior do que amanhã.

Ao final de cada dia o candidato é a pessoa mais apropriada para identificar o que funcionou e o que não funcionou.

Se fizer os ajustes necessários todos os dias, mesmo que bem pequenos, aumentará sobremaneira suas chances para a tão almejada aprovação.

As três palavras-chave dos concursandos e vestibulandos são: dedicação, determinação e consistência.

E, por último, um Bônus: renovar todos os dias mentalmente e emocionalmente os seus sonhos (objetivos estrategicamente definidos).

Cada manhã inebriar-se com a visualização da aprovação na prova – ver, ouvir e sentir a vida após a aprovação. Tudo será bem diferente.

Após a aprovação, a vida dará um grande salto. Somente os mais bem preparados conquistarão este upgrade, não é coisa para fracos e pessoas pouco afeitas a esforços fora da mediocridade.

box15

O dia de estudo será sempre bem mais fácil quando iniciado com a energia emocional focada nos resultados (motivação) e a energia racional focada nas matérias propriamente ditas.

 

box6

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *