Redes sociais para amantes de livros

Tempo de leitura: 2 minutos

Redes sociais para amantes de livrosHoje em dia, existem redes sociais para todo o tipo de interesse das pessoas na internet. Algumas são até um pouco exóticas e não parecem oferecer muito conteúdo aos usuários a não ser a interação em si, como o caso da Stache Passion, uma rede social para amantes de bigodes. Mas outras, em contrapartida, parecem prestar um serviço diferenciado que pode agregar informações valiosas e bem interessantes aos internautas que se juntarem à rede.

É o caso das mídias sociais para amantes de livros. Se você gosta de ler e deseja compartilhar as suas opiniões, escrever resenhas, e até mesmo entrar em discussões com outras pessoas sobre o tipo de arte e literatura que mais lhe agradam, este pode ser um caminho para explorar ainda mais a fundo a sua leitura.

Além disso, dentro dessas redes você consegue encontrar títulos que se assemelham aos de sua preferência, mais informações sobre os autores e contextos históricos, outros pontos de vista sobre a história que você tanto domina, e principalmente pessoas com os mesmos gostos para conversar e pedir dicas.

Redes sociais brasileiras de livros

Para quem costuma ler mais livros em português, e que não sejam apenas os grandes clássicos da literatura, as melhores redes sociais para o assunto são as brasileiras “Skoob” e “O Livreiro”. Nelas você consegue encontrar os mais completos catálogos nacionais, montando sua biblioteca virtual, adicionando tags especiais e exclusivas aos livros de sua escolha como “abandonei”, “relendo”, “lido”, “planejo ler”.

A interface é bem simples e intuitiva, e todo esse serviço é gratuito. Em alguns livros online, é possível também ler um capítulo para ver se a linguagem e a abordagem do autor te agradam. Dessa forma, você não terá que comprar o livro pela capa.

Redes sociais americanas de livros

Já para você que gosta de ler também em outras línguas, ou precisa mesmo por causa do trabalho ou da faculdade, existem algumas redes americanas que são muito completas e com discussões até mais frequentes do que as brasileiras. As maiores e mais relevantes são a “LibraryThing” e a “Shelfari”, sendo que a primeira possui cadastros das principais bibliotecas dos Estados Unidos e a segunda utiliza o catálogo da gigantesca loja de comércio virtual Amazon.

O sistema de tags é muito semelhante aos citados anteriormente, mas as interfaces são mais trabalhadas (no Shelfari você pode organizar seus livros numa estante virtual que imita a realidade). O único problema para nós é que a quantidade de títulos nacionais ainda não chega aos pés das redes brasileiras, por razões óbvias. Mas de qualquer forma, é um outro meio para quem quer se aperfeiçoar e se aprofundar no campo da leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *