Como manter a memória “fresca” por toda a vida?

Tempo de leitura: 4 minutos

A memória humana é algo fascinante. Memórias, lembranças, informações e até mesmo sentimentos da vida humana só existem graças a ela. Seja a formatura de uma pessoa querida, o primeiro beijo ou os primeiros passos dos filhos. Como manter a memória fresca é a peça-chave para a vida como a conhecemos.

Memória

Como manter a memória fresca

Os mecanismos pelos quais o cérebro opera são extremamente sofisticados, superando de longe qualquer computador ultramoderno. Entretanto, assim como os equipamentos mais delicados, ela requer também dedicação e cuidado. Isso deve ser incluído em uma rotina, que traz resultados claros em longo prazo.

Memória de longo prazo

A memória, apesar do que se pensava, não se trata de um grande armazém onde são depositadas todas as informações. Os processos são muito mais complexos e envolvem diversas áreas do cérebro, e não só um ponto específico.

Por essa mesma razão, ela é também frágil, já que pode ser afetada com contusões ou problemas de saúde. As memórias são divididas em três tipos: as sensoriais, de curto prazo e de longo prazo.

A primeira trata justamente das sensações que cada um tem ao tocar algo gelado ou quente ou ao se machucar, por exemplo. É como uma visão que permanece poucos segundos depois que aconteceu. Já a segunda, de curto prazo, consegue reter até 7 itens em períodos de 20 a 30 segundos. É o caso de números de telefone antes de serem discados ou nome de um restaurante, para isso existem técnicas fáceis que ajudam a lembrar, como repetir várias vezes a palavra.

Já a memória mais interessante se refere justamente ao armazenamento por um período mais estendido de tempo. Alguns especialistas acreditam que os três tipos de memória são acumulativos. Ou seja, elas evoluem de uma sensorial para uma de curto prazo e, quando usadas com frequência, acabam se tornando uma memória de longo prazo. É o caso de um endereço usado com frequência ou um nome que é pronunciado sempre em sua mente. As memórias de longo prazo, ao contrário das outras, são mais profundas e chegam até a ser ilimitadas.

Técnicas de Memória

Então, como manter a memória fresca? Mesmo no caso de pessoas mais esquecidas, alguns exercícios ajudam nessa tarefa. Isso porque, em muitos casos, o esquecimento pode gerar frustrações e cobranças ou até mesmo acarretar em problemas de saúde maiores.

É preciso ter consciência de que a memória é uma parte importante, tanto na questão biológica, quanto nas interações sociais. Seja em família ou entre amigos e principalmente no trabalho, uma boa memória possibilita o sucesso e a realização pessoal. Afinal, todos querem se lembrar de vários momentos e dados importantes por toda a vida e, para isso, a memória também precisa “malhar”.

O cérebro humano funciona por associação, ou seja, as lembranças são ativadas por elementos que se associam.

Uma memória de infância geralmente está contida em algum cheiro ou até mesmo um toque arquivado naquele período que ficou associado até a vida adulta.

Então não fica difícil saber como manter a memória fresca relacionada aos estudos. Muita gente acaba esquecendo de algo que estudou logo após terminar de ler, mas a questão é justamente a atenção.

O cérebro humano funciona de maneira complexa e o esquecimento é parte importante disso, já que seria impossível processar e armazenar toda a informação vivida em um único dia. Por isso, um curso de memorização é excelente para garantir espaço para o que for realmente importante.

Mais ainda, ele faz com que seja possível escolher o que guardar com ainda mais eficiência, acessando o conhecimento facilmente em um momento de necessidade.

Inimigos da memória

Ansiedade e estresse são alguns dos grandes inimigos de um funcionamento saudável da mente. Evitá-los ao máximo já é uma das primeiras medidas para melhorar todo o processo em longo prazo e otimizar seus dias.

Mas, assim como toda parte do corpo, ela também sofre os efeitos do tempo e do envelhecimento do organismo. Entretanto, a memória é uma das partes mais importantes da cognição. Ela é usada para formar os pensamentos mais básicos e as dificuldades enfrentadas por suas falhas são imensas.

É o caso de doenças degenerativas, como o Mal de Alzheimer. Os exercícios de memória servem justamente para ir na contramão desse estado, retardando seu processo de evolução.

E não é preciso esperar a memória falhar para começá-los, trabalhar a mente deve ser uma tarefa feita desde a juventude. Os exercícios para memória incluem jogos de raciocínio, leituras diárias para absorver novas informações e a prática da atenção, vários deles incluídos nos cursos de memorização. Vale a pena começar agora e garantir a memória fresca por toda a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *