Como aprender com os erros e com os acertos

Tempo de leitura: 2 minutos

Como aprender com os erros e com os acertosQuantas vezes você já não ouviu uma frase do tipo “errar é humano, mas persistir no erro é burrice”? Persistir fazendo exatamente o mesmo erro pode não ser uma escolha inteligente, mas os grandes líderes dão importantes passos em suas carreiras sem medo de errarem e serem considerados “burros”.

No post de hoje, vamos tentar analisar esse ditado popular por uma outra visão, ressaltando:
– como podemos reconhecer nossos erros e trabalharmos para evoluirmos;
– como não nos acomodarmos com nossos acertos;

Aprendendo com os erros

Aprender com um erro não é simplesmente observar que algo deu errado e partir para um novo caminho. Quando acreditamos que nossa ideia tem potencial, a nosso missão se torna identificar ONDE falhamos, e aí sim podemos trabalhar com foco nessa mudança pontual.

Ou seja, as vezes um pequeno erro no planejamento pode acabar prejudicando a execução de um projeto. E isto não quer dizer que o projeto é ruim e que se esforçar para aprimorá-lo é “burrice”, mas que ele pode ser melhorado para que a sua aplicação final seja perfeita.

Busque fazer de um modo diferente do que você fez, muitas vezes a lógica e o ponto de partida que utilizamos estavam errados, o que nos fez chegar a conclusões erradas. É importante estar com a cabeça aberta para identificar qual foi de fato a origem do problema.

Portanto, não podemos nos desanimar: o erro não é o fim, e sim uma oportunidade para um recomeço muito mais eficiente e planejado. Se não ousarmos e não sabermos compreender um eventual feedback negativo, acabaremos ficando totalmente operacionais e com horizontes pequenos.

Nunca desista facilmente: acredite em você mesmo!

Aprendendo com os acertos

Outro ditado popular que pode ser muito bem contestado é o que diz que “em time que está vencendo não se mexe”, fazendo referência a uma partida de futebol.  Se isso funcionasse para qualquer situação, provavelmente nunca ouviríamos falar na palavra “inovação”.

Pontuamos isso para fazer um paralelo com o nosso dia a dia. Quem é que nunca pensou algo do tipo: “isso está dando certo, por que mudar?”, ou “eu sempre vou a esse restaurante porque sei que lá encontrarei a comida que gosto, então por que arriscaria ir a outro lugar?”.

Quando acertamos uma estratégia que gerou bons resultados para a empresa, ou mesmo quando acertamos no pedido do prato no restaurante, não podemos nos acomodar e pensar que isso é o bastante. Cabe a nós analisarmos pontualmente nossos acertos, da mesma forma que analisamos nossos erros, para que em uma próxima vez possamos trabalhar em cima deles.

Nossos acertos servem como alicerces para novas empreitadas, mas a estratégia por trás deles não pode ser pura e simplesmente copiada. Temos sempre que inovar, atualizar nossas ideias e por em prática todo o aprendizado absorvido de nossa experiência para que possamos continuar vencendo.

Vamos em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *