O que você quer mudar em sua vida em 2015?

Tempo de leitura: 2 minutos

Ano novo

A chegada de um novo ano também estimula diversos planos, que podem incluir medidas simples na rotina ou até mesmo uma grande mudança na vida. Para que essa modificação entre em curso nesse novo período é preciso planejamento e clareza para estipular as metas e os desafios. Esse é o tempo de enxergar e decidir como você quer incrementar sua vida nesse ano que chega, traçando um planejamento possível de se alcançar.

Reflexão

Antes de mais nada, é preciso entender o que é preciso transformar. Mais do que apenas fugir dos problemas, é necessário entender suas raízes para, assim, conseguir realizar progressos e alterações que resultarão em impactos positivos. Se esse desejo de modificação existe, o primeiro passo já está dado. Para torná-lo efetivo, planejar é a medida mais indicada e coerente. Para quem deseja começar a ler mais ou se destacar no trabalho ou nos estudos, por exemplo, é a hora de dar início a um curso de leitura dinâmica que possibilite a concretização desses desejos. Para quem pretende parar com algum vício, é importante planejar com antecedência a diminuição gradual ou até mesmo iniciar algum tratamento com um especialista.

Preparo

A mudança nunca é um efeito isolado. Ela é resultado de um preparo anterior, que é inicialmente emocional. É preciso estar preparado para o novo e saber recebê-lo, uma vez que as oportunidades aparecerão e é necessário saber avaliar e se arriscar. A princípio, tudo depende de um espírito que acolha e esteja pronto para as modificações, seja na vida pessoal ou profissional. As insatisfações devem ser elementos estimulantes no sentido de fomentar uma alteração positiva, não meros obstáculos ou entraves da rotina.

Expectativas

A cultura budista, por exemplo, se baseia em quatro nobres verdades, que modificam completamente a vivência das pessoas. São elas: “a vida é sofrimento; a causa do sofrimento é o desejo; a cessação do sofrimento é se ver livre do desejo; o modo de realizá-lo é através do Caminho Óctuplo”. Ou seja, a maior parte das aflições que atingem a vivência cotidiana da maioria das pessoas está relacionada a esse desejo, apego e expectativa postos sobre as mais diversas circunstâncias.

Uma maneira de se ver livre das aflições é viver sem que haja qualquer expectativa externa à vida, tanto boa quanto ruim. Assim, é possível agir e aceitar as condições do presente, sempre com a cabeça aberta para o futuro. Com esse tipo de pensamento, é possível alcançar melhorias e atingir novos patamares de aperfeiçoamento e modificação. Como diz a velha citação do filósofo Friedrich Nietzsche, “o que não me mata, me faz mais forte”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *