Entenda como gravar informações no cérebro com essas 5 dicas

Tempo de leitura: 6 minutos

Você sabe como gravar informações no cérebro? A realidade é que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, essa atividade exige muito mais do que apenas memorizar e, por essa razão, existem técnicas que contribuem para a fixação de conhecimento.

Conseguir reter noções, ideias e dados é capaz de contribuir em diferentes contextos na vida de uma pessoa, afinal, hoje em dia temos acesso a diferentes informações e de forma variada, mas precisamos saber guardá-las para que seja possível utilizá-las nos momentos propícios, como em uma prova ou debate.

Se você deseja entender mais sobre o tema e conhecer 5 dicas que devem ajudá-lo a gravar informações no cérebro, continue a leitura deste post que vamos apresentar todos os detalhes. Confira!

1. Simplifique as informações

Simplificar o conteúdo lido torna mais fácil sua retenção, então, dividir o que precisa ser memorizado em categorias ou grupos é um excelente passo para que o seu cérebro consiga assimilar com mais facilidade e por mais tempo.

É o caso, por exemplo, da memorização de números. Se você deseja gravar um CPF (Cadastro de Pessoa Física) que conta com 11 números, ao dividi-lo em pequenos grupos, como 123.456.789-10, a assimilação se torna mais simples.

Já no caso de textos que devem ser fixados, uma forma eficaz é simplificá-los por meio de resumos. O exercício de resumir um conteúdo demanda, inicialmente, que você entenda o que foi lido para separar as partes mais importantes. Dessa maneira o cérebro recebe a informação e precisa processá-la para elaborar sua simplificação.

É válido ressaltar, ainda, que para ser realmente eficaz o resumo deverá conter as partes mais relevantes do conteúdo, sendo necessário que o leitor dê o seu entendimento sobre o tema, e não apenas copie e transcreva trechos literais.

2. Faça relações de informações com algo que já tenha em mente

Uma dica muito importante de como gravar informações no cérebro é realizando a conexão das novas informações com outras que já estão em sua mente e fazem parte do seu cotidiano. No caso, por exemplo, de uma pessoa que está aprendendo uma nova língua, ela pode relacionar as palavras que deseja memorizar com sons ou palavras que já conhece.

Outra maneira de realizar essa memorização é por meio da associação com objetos ou contextos: se alguém deseja memorizar o nome de uma pessoa que conheceu na portaria do prédio, e que se chama Maria, por exemplo, pode pensar em seu nome como Maria da portaria. Apesar de parecer uma dica estranha, ela costuma ser muito eficaz por estabelecer uma associação do nome com o momento e o local em que o encontro aconteceu.

Por fim, outra maneira é relacionar informações com lembranças antigas — que nunca foram esquecidas, criando um sentido comum entre ambas. Para tanto, é preciso entender e identificar a informação que deve ser gravada através de conexões com vivências pessoais relevantes, sejam elas de natureza sensorial, emocional ou intelectual.

3. Exercite o cérebro continuamente

Da mesma maneira que o corpo deve se manter ativo para estar saudável, o cérebro também precisa receber estímulos e fazer exercícios para se manter em forma. Para tanto, é preciso manter alguns hábitos, como: a prática da leitura, a realização de palavras cruzadas, de jogos como xadrez e sudoku ou até mesmo a montagem de quebra-cabeças.

A leitura, por sua vez, merece destaque por se tratar de uma excelente maneira de exercitar o cérebro de forma contínua, uma vez que a cada letra que é lida o cérebro humano consegue realizar, em frações de segundos, uma varredura de todas as palavras que conhecemos com aquelas letras, o que o mantém ativo, uma vez que o processo se repete a cada letra que é lida.

Dessa maneira, a leitura é um esforço intelectual excelente e que requer um grande uso da memória mas, quanto mais se lê, mais se amplia a capacidade de memorização pelo exercício cerebral. É válido ressaltar que a leitura de conteúdos interessantes e relevantes é o mais recomendado, contudo, somente o ato de ler qualquer coisa já costuma ser útil.

4. Teste a memória de forma contínua

Testar a sua memória a fim de conferir as informações que foram gravadas também é um bom exercício para o cérebro e que o auxilia a encontrar os caminhos da informação. Para tanto, você pode fazer perguntas para si mesmo e tentar lembrar, por exemplo, de detalhes de um livro ou de um filme que você leu ou assistiu.

O ideal é, ainda, registrar essas ideias no papel a fim de fixá-las, realizando esse exercício recorrentemente: uma semana após ler um livro, 1 mês e 6 meses depois. Por fim, é possível comparar cada uma das respostas e verificar quais informações foram realmente gravadas pelo seu cérebro a respeito do assunto.

5. Preste atenção

Prestar atenção em uma informação que você deseja memorizar é imprescindível para que ela seja gravada pelo cérebro. Para tanto, é preciso afastar qualquer tipo de distração no momento da assimilação. Portanto, uma pessoa que deseja estudar vendo TV ou mexendo no celular ao mesmo tempo, sem dúvidas, terá sua capacidade de memorização minimizada.

O ideal é que toda a nossa atenção esteja voltada para a informação que desejamos guardar para que todos os nossos recursos cerebrais se concentrem exclusivamente neste objetivo. Canalizar toda a energia num único foco possibilita a retenção da informação de forma mais ampliada e significativa, aumentando as chances de se lembrar com mais clareza posteriormente sobre o assunto.

Já a falta de atenção, por sua vez, é capaz de reduzir consideravelmente a capacidade de memorização, especialmente no caso de informações novas e complexas que costumam exigir ainda mais do cérebro.

Agora que você já sabe como gravar informações no cérebro, coloque as nossas dicas em prática, lembrando-se de estimulá-lo constantemente para que a sua capacidade de memorização se mantenha em forma.

Para tanto, existem recursos muito eficazes para auxiliá-lo, como os cursos oferecidos pela Methodus que, por meio de técnicas de memorização, o ajudarão a organizar a sua mente de forma que a informação se torne fácil de ser encontrada quando você mais necessitar dela.

Se você deseja conhecer mais sobre a Methodus e os nossos cursos, entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *