Memória Fotográfica: O que É e como Desenvolver?

Tempo de leitura: 9 minutos

como ter memoria fotográfica

Ter uma boa memória fotográfica é algo muito desejado e que auxilia em diferentes momentos da vida. É possível aprimorar e desenvolver essa habilidade por meio de técnicas específicas de memorização.

Você sabe como ter memória fotográfica? Conhecida cientificamente como memória eidética, a famosa memória fotográfica é, na realidade, a capacidade de conseguir se lembrar de algo apenas ao olhar uma foto ou um recado de forma rápida e eficiente.

A memória fotográfica costuma ser retratada em filmes e inspirar muita gente. Apesar de parecer se tratar de uma habilidade que apenas os gênios têm, como o personagem Sherlock Holmes e detetives profissionais, a realidade é que é possível desenvolvê-la com a prática de exercícios no cotidiano acadêmico ou profissional, ou praticando técnicas específicas de memória.

Se você deseja conhecer mais sobre esse tipo de memória se estende até mesmo para algo que é ouvido, não necessariamente apenas a imagens ou escritos, continue a leitura deste post que vamos apresentar todos os detalhes sobre o tema. Confira!

Como funciona a memória fotográfica na prática?

Até o momento, o maior feito na habilidade da memória fotográfica foi de uma estudante de Harvard em 1970. Na época, um cientista chamado Charles Stromeyer III registrou todos os detalhes e publicou um artigo histórico que relatava que a estudante conseguiu enxergar 10 mil pontos com o olho esquerdo coberto.

Já no dia seguinte, outros 10 mil pontos foram mostrados com o olho direito coberto. Ao final, ela foi capaz de fundir os 20 mil pontos e identificar uma figura 3D formada pelo estereograma. Em razão desse feito, ela se tornou a primeira prova viva de que a memória fotográfica era um fenômeno possível.

Ao longo da história, diferentes personagens apresentaram também memórias notáveis. Contudo, é evidente que essas habilidades extraordinárias não estão ao alcance de todos e, inclusive, são bastante raras.

Entretanto, é possível aprimorar a capacidade da memória fotográfica de um indivíduo com a ajuda de técnicas específicas e de exercícios direcionados, ou seja, é possível, sim, desenvolvê-la por meio de treinamentos.

A memória fotográfica influencia na vida profissional?

Como a memória é utilizada para diferentes atividades, desde os estudos até na hora de executar alguns trabalhos mais técnicos, contar com a habilidade da memória fotográfica desenvolvida, sem dúvidas, costuma ter um impacto positivo na rotina.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, esse tipo de técnica é indicado para todas as pessoas e não apenas para os mais esquecidos, afinal, ao desenvolvê-la, no ramo profissional se torna mais fácil conseguir se dar bem em reuniões, apresentações em público e habilidade de lembrar as mais variadas atividades cotidianas dos profissionais.

Com o aprimoramento da sua própria memorização, relacionada também com diferentes atividades do dia a dia, por exemplo, se torna mais fácil reconhecer as pessoas pelo rosto e relacionar seus nomes, evitando aquele famoso branco que resulta em uma gafe.

A memória fotográfica reflete na aprendizagem?

As técnicas de memória têm impacto, também, no processo de aprendizagem como um todo. Com a ajuda dessa habilidade, a tendência é que os alunos consigam compreender melhor as matérias, entender com mais profundidade os diferentes conteúdos e, com isso, agir com precisão em questões de vestibular e concursos.

Os benefícios de contar com uma memória fotográfica podem ser sentidos na rapidez com que a pessoa consegue absorver determinado tema ou, ainda, no raciocínio lógico que é desenvolvido — fatores que impactam na aprendizagem e melhoram ainda mais as atividades mais simples.

A memória fotográfica ainda pode ser desenvolvida na terceira idade?

É comum perder um pouco a capacidade de reter informações com o passar do tempo, devido ao envelhecimento e morte de células neurais. Por isso, os impactos de contar com uma boa memória fotográfica costumam ser ainda maiores com o passar da idade.

Os exercícios específicos sugeridos pelas técnicas de memória criam a ginástica mental que é necessária para alongar a permanência dos registros e as futuras lembranças respectivas.

Além disso, as técnicas de memória ajudam a trabalhar essa habilidade e, também, a retardar um pouco o processo de envelhecimento das células — o que resulta em mais saúde e em um envelhecimento sadio.

Como ter memória fotográfica?

Como vimos ao longo do texto, contar com uma boa memória fotográfica é importante para o trabalho, os estudos e até mesmo para o envelhecimento saudável. Agora você deve estar se perguntando o que é preciso fazer para desenvolvê-la, não é mesmo? Veja, a seguir, nossas dicas!

Use gráficos, desenhos e mapas mentais

Ferramentas como gráficos, desenhos e mapas mentais costumam ajudar muito no treinamento da memória fotográfica. Para adiantar ainda mais o processo, o ideal é utilizar várias cores e fazer desenhos sempre que for necessário.

Utilizar essas técnicas, sempre de maneira organizada, é útil para treinarmos o nosso cérebro, pois o formato auxilia na memorização de conceitos, efeitos e consequências.

Escreva o que precisa ser lembrado

A escrita costuma ser muito eficaz contra o esquecimento, afinal, escrever exige grande atividade mental e envolve diretamente as funções da memória. Isso ocorre porque, quando escrevemos, o nosso cérebro envia estímulos para todas as áreas da memória a fim de encontrar expressões, palavras etc.

Além disso, quando lemos um texto que escrevemos, estimulamos a memória fotográfica e, quando precisamos de alguma informação, a nossa mente se torna capaz de se recordar até mesmo do local da página em que o conhecimento desejada se encontrava.

Crie associações visuais

O método de associações visuais é utilizado desde a Grécia Antiga, sendo também chamado de “método de loci” ou de “técnica do Palácio de Memórias”. De acordo com a lenda, a técnica surgiu porque um poeta da época precisava identificar os corpos de pessoas que morreram no desabamento de um palácio e estavam desfigurados — o que ele só conseguiu realizar porque se lembrava da localização exata de cada pessoa no momento do acidente.

Dessa maneira, esse método consiste na criação e visualização mental de um local imaginário, como uma casa com todos os móveis e cômodos, para gravar nomes, listas ou fatos. Uma pessoa que, por exemplo, deseja se lembrar dos nomes dos presidentes do Brasil pode usar essa técnica e associar o Jânio Quadros ao quadro na parede do local, já Juscelino Kubitschek pode ser associado ao sofá.

Não há uma regra para a escolha das associações. Contudo, depois de realizá-las, o ideal é percorrer mentalmente o local imaginário diferentes vezes a fim de estimular a memória fotográfica, sempre se recordando da posição de cada móvel e, consequentemente, dos nomes ou fatos vinculados a eles.

Atente para os detalhes

No momento que desejamos ativar a nossa memória fotográfica, os detalhes são capazes de fazer toda a diferença, uma vez que atentar às particularidades é uma das melhores maneiras de relacionar as matérias.

Uma pessoa que deseja aprender sobre determinado assunto, por exemplo, não deve se contentar apenas com o conceito básico. O ideal é procurar entender o que levou aquilo a ocorrer, quais são as causas e efeitos do fato, quem são as pessoas envolvidas, entre outros pontos relevantes.

Trata-se de uma medida importante porque, ao estudar tudo sobre o assunto se lembrando que toda informação é válida, o nosso cérebro consegue imaginar a situação e, consequentemente, estimular a memória fotográfica.

Faça resumos com fotos

Se você deseja aprender sobre determinado assunto, o recomendado é buscar por imagens para completar os seus resumos acerca do tema. É possível procurar fotos de personalidades, locais e até mesmo de culturas para enriquecer os seus estudos.

É o caso, por exemplo, de uma pessoa que deseja aprender sobre o Egito Antigo. Nesse caso, ela pode relacionar o tema com a Cleópatra, uma figura emblemática e, a partir da sua figura, relembrar os demais fatos históricos relacionados ao tema, como dados e informações culturais sobre o país.

Fotos, vídeos ou qualquer outro tipo de material visual ajudam na distinção do conteúdo, especialmente os relacionados a assuntos semelhantes e, é claro, estimulam o desenvolvimento de uma boa memória fotográfica.

Faça um curso de memorização

A melhor maneira de aprender sobre todas as técnicas eficazes de memorização, inclusive as relacionadas à memória fotográfica é, sem dúvidas, realizar um curso com um especialista no assunto.

A Methodus, por exemplo, ministra cursos e treinamentos em que ensina métodos exclusivos criados pelo professor e filósofo Alcides Schotten que, por sua vez, buscou em todo o conhecimento humano — desde Platão e Aristóteles, na Grécia Antiga, até os pensadores mais modernos — um ponto de equilíbrio e o segredo do aperfeiçoamento de talentos naturais.

No curso de leitura dinâmica e memorização da Methodus é possível aprender a organizar a sua mente utilizando técnicas de memorização, de modo que a informação se torne fácil de ser encontrada quando você mais precisar dela.

Agora que você já conhece melhor sobre o funcionamento do cérebro humano e sabe como ter memória fotográfica e desenvolvê-la, deve ter percebido que essa habilidade é capaz de fazer uma importante diferença em áreas distintas da vida. Por isso, coloque as nossas dicas em prática e comece a estimular a sua memória quanto antes!

Se você gostou das nossas dicas sobre memória fotográfica, curta a nossa página no Facebook para ter acesso a atualizações sobre nossos novos posts!

Memória Fotográfica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *